Palocci responde a Zoellick: Brasil quer negociar

O ministro da Fazenda, Antônio Palocci, respondeu as críticas do representante comercial dos Estados Unidos, Robert Zoellick, que culpou o Brasil e outros países em desenvolvimento pelo fracasso das negociações na Organização Mundial do Comércio, dizendo que o Brasil "tem se caracterizado, nesse episódio e em outros, por um desejo explícito de negociação".Para Palocci, a negociação "é uma característica muito particular do presidente Lula, ele tem feito isso na prática, não apenas na retórica". O ministro afirmou que não há "nenhum motivo para duvidar da decisão, da vontade, e do potencial do Brasil e seus parceiros na negociação". A articulação dos países em desenvolvimento em Cancún, segundo Palocci, "deveria ser vista como algo que elevou o debate e não o dificultou".Sobre a afirmação de Zoellick de que o governo norte-americano vai se concentrar na promoção de acordos bilaterais de livre comércio, Palocci disse acreditar que todos os países vão retomar o processo de negociação multilateral. "Essa foi uma recomendação aprovada aqui no FMI, no Banco Mundial, com o apoio de todos os ministros de todos os países. Não tenho dúvida que os Estados Unidos também terão essa postura positiva nas negociações", disse.

Agencia Estado,

22 de setembro de 2003 | 14h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.