Pan lança chocolates enquanto tenta reverter concordata

A tradicional fabricante de chocolates Pan Produtos Alimentícios Nacionais entrou com pedido de concordata em julho, está em processo de elaboração dos documentos contábeis e uma empresa de auditoria realiza o levantamento dos débitos da companhia com bancos e fornecedores. Nem por isso a empresa parou. O diretor comercial, Osmar Luiz Molezini, revelou que a Pan deve fazer três lançamentos na área de chocolates em setembro e pretende ampliar sua distribuição ainda em 2002."A Pan tem uma marca forte no mercado e não pode parar", frisou. Ele também afirmou que o pagamento do salários dos 380 funcionários, que atrasou em junho e foi parcelado em julho, já está em dia. Molezini projeta para o segundo semestre um acréscimo de 10% em vendas por conta dos pedidos de Natal. "Ainda assim a receita bruta fecha empatada com os R$ 20 milhões obtidos no ano passado", afirma.Entre os dias 8 e 10 de setembro a septuagenária Pan entregará a documentação contábil exigida pela Lei de Falências e Concordatas ao juiz Ary Casagrande, da 4ª Vara Cível de São Caetano do Sul. A partir da documentação detalhada, o juiz irá avaliar se a companhia "terá condições de cumprir a concordarta". "A Pan tem todo pré-requisito para concluir o prazo e reverter o quadro", afirma o advogado Jeremias Alves Pereira Filho, que cuida dos trâmites da empresa.Indagado sobre o valor da dívida da Pan, o advogado afirma que ainda não tem os resultado da auditoria. "Ainda está em fase final de levantamento e não quero arriscar números", disse. Ele adiantou apenas que o montante em débito com fornecedores empata com o valor em débito nos bancos. "São mais de 20 bancos credores e passam de 100 fornecedores", informou. No início de setembro, a Pan apresentará ao juiz dois balanços: um de 31 de dezembro de 2001 e outro especial.Quando à venda da empresa, diz Molezini: "Nunca pensamos em vender o negócio, o que não significa que a empresa não seja vendável." Leia mais sobre o setor de Alimentos e Bebidas no AE Setorial, o serviço da Agência Estado voltado para o segmento empresarial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.