Pane no sistema do INSS interrompe funcionamento de 90 agências

Uma pane no sistema de transmissão de dados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) interrompeu o funcionamento de cerca de 90 agências em todo o Estado, na manhã de hoje. O problema ocorreu no horário de pico, entre 7h e 11h30, justamente na semana em que a Previdência Social inaugurou o novo horário de abertura dos postos. Milhares de aposentados e pensionistas que passaram a madrugada nas intermináveis filas voltaram para casa sem atendimento.O defeito ocorreu por volta das 4h de hoje, quando houve o rompimento de cabos de fibra ótica da Telefônica que passam entre os bairros da Liberdade e do Brás, no Centro de São Paulo. O problema afetou a central da Dataprev, a empresa de tecnologia e informação da Previdência Social, que tem sede na região.Até que a pane fosse solucionado, o sistema do INSS ficou inoperante em cerca de 90 postos do Estado. Na Capital, 15, das 25 agências foram afetadas, dentre elas as três unidades de maior movimento: Santo Amaro (Zona Sul), Xavier de Toledo (Centro) e Santa Marina (Zona Oeste). No restante do Estado, outras unidades importantes, como a de Ribeirão Preto, ficaram sem atendimento.Para minimizar o impacto do problema, os funcionários das agências afetadas pela pane passaram a fazer uma triagem dos segurados na fila. Os servidores conseguiram apenas prestar orientações ao público. Perícias médicas e o protocolo de benefícios e aposentadorias foram remarcados para outras datas. O INSS não soube informar a quantidade de segurados prejudicados por conta do problema.A Telefônica, responsável pela manutenção dos cabos de fibra ótica, conseguiu corrigir o defeito às 11h30, e o atendimento aos segurados foi retomado em seguida pelo INSS. A Previdência Social afirmou que a pane no sistema não causará acúmulo de trabalho, e que não será necessário fazer mutirões ou ampliar ainda mais o horário de atendimento para suprir a demanda. A Telefônica garantiu que o defeito não deve se repetir.Mesmo após mudanças, atendimento decepcionaA pane no sistema do INSS ocorreu no quarto dia de funcionamento das agências em horário ampliado. Dos 164 postos do Estado, 93 passaram a trabalhar durante dez horas ininterruptas, desde segunda-feira, para distribuir melhor o atendimento ao longo do dia e reduzir as filas. Porém, a medida não resolveu, e os segurados continuam sendo obrigados a dormir na porta dos postos para conseguir o atendimento.O superintendente do INSS em São Paulo, Antônio Carlos Lima, garantiu que, em no máximo dois meses, as pessoas poderão perceber melhorias na qualidade do serviço e que não haverá mais distribuição de senhas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.