Panorama econômico

Panorama econômico

JAN HATZIUS

, O Estadao de S.Paulo

24 de março de 2010 | 00h00

ECONOMISTA-CHEFE DO GOLDMAN SACHS

"Haverá recuperação (nos EUA), mas

será lenta", disse em visita ao Brasil

para encontro com clientes

DMITRI MEDVEDEV

PRESIDENTE DA RÚSSIA

O russo pediu ao multimilionário Victor Vekselberg que coordene a construção

de um Vale do Silício russo

ROGER AGNELLI

PRESIDENTE DA VALE

Ações da Vale subiram 3,54% ontem com informações de que a mineradora adotou sistema de reajuste do minério de ferro

"Não existe no Brasil nenhuma espécie de ânsia por fazer tudo por meio do Estado. O que não podemos é ficar esperando que as pessoas decidam quando vai haver investimento."

Paulo Bernardo

MINISTRO DO PLANEJAMENTO

HIPOTECA NOS EUA

Agências precisam de reforma, diz Geithner

O secretário de Tesouro americano, Timothy Geithner, afirmou numa audiência com o Comitê de Serviços Financeiros da Câmara dos EUA que as agências hipotecárias Fannie Mae e Freddie Mac precisam de uma reforma, assim como o restante do sistema de financiamento habitacional dos EUA. Mas disse que qualquer mudança abrupta poderia afetar o mercado de moradias. "Há muitos desafios à frente", disse.

SUBORNO

4 executivos da Rio Tinto podem ser presos

Depois de confessarem ter recebido subornos, quatro executivos da mineradora Rio Tinto viraram réus na China, sob acusação de roubar segredos comerciais. Os advogados dizem que o australiano Stern Hu, chefe do negócio de minério de ferro da Rio Tinto na China, e três chineses podem pegar mais de cinco anos de cadeia.

SONEGAÇÃO

Madoff deve ao Fisco de NY US$ 1 milhão

O ex-investidor Bernard Madoff, condenado a 150 anos de prisão por montar um esquema de fraudes financeiras de US$ 50 bilhões, deve US$ 984.280 ao Fisco do Estado de Nova York, segundo publicou ontem o jornal New York Post. A dívida se refere a impostos não pagos no ano passado por sua empresa de investimentos. Madoff foi preso em julho de 2009.

Aluguéis

O mercado de locação de imóveis residenciais começou o ano aquecido na capital paulista

19,25%

foi o aumento do número de imóveis alugados em janeiro deste ano, segundo o Creci-SP

R$ 800

foi a média de preço acordada na maioria dos contratos de

aluguel em janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.