Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Panorama Econômico

ARGENTINA

, O Estado de S.Paulo

31 de dezembro de 2010 | 00h00

Falta de cédulas se agrava no país

Executivos dos bancos, economistas e políticos argentinos querem que o Banco Central da Argentina emita cédulas de 200, 500 e até 1.000 pesos. Recentemente, o governo de Cristina Kirchner encomendou à Casa da Moeda do Brasil a impressão de cédulas de 100 pesos, a maior em circulação, alegando que a Casa da Moeda da Argentina, com suas máquinas obsoletas, não está conseguindo atender à demanda por estas notas, especialmente pelo aumento do fluxo comercial do fim de ano. No entanto, o apelo feito pelos especialistas aponta para um problema mais grave: a elevada inflação, que devorou o valor da moeda. Nas últimas semanas, o dinheiro sumiu dos caixas eletrônicos. E até nos bancos, os argentinos estão com dificuldades para realizar saques.

SEGURO

Réveillon de Copacabana é segurado em R$ 10 mi

A festa da virada do ano em Copacabana terá um seguro de R$ 10 milhões. A apólice foi fechada pela seguradora americana Liberty e pela Aon, maior corretora de seguros do mundo. A apólice cobre danos causados ao público, artistas, montagem do palco e eventuais problemas com fogos de artifício, entre outros incidentes. O evento deve reunir mais de dois milhões de pessoas. Segundo a Aon, a apólice foi estruturada com base na análise de risco do projeto e nas exigências das empresas patrocinadoras (Petrobrás, Bradesco, Coca-Cola, Oi e EBX).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.