finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Pão de Açúcar eleva investimentos para R$1,4 bi em 2011

O Grupo Pão de Açúcar anunciou na madrugada desta quinta-feira que realizará investimentos da ordem de 1,41 bilhão de reais ao longo deste ano, o que representa incremento de 18,4 por cento em relação aos aportes realizados em 2010.

REUTERS

24 de fevereiro de 2011 | 08h58

Em todo o ano passado, a companhia desembolsou 1,19 bilhão de reais, expansão de 64,7 por cento sobre os investimentos feitos em 2009, segundo dados disponíveis no demonstrativo de resultados divulgado na véspera.

O volume ficou abaixo do inicialmente previsto para 2010, que era de 1,6 bilhão de reais, conforme a companhia já havia antecipado em meados de julho, quando estimou que os investimentos totalizassem perto de 1,2 bilhão de reais no ano.

A maior varejista do país planeja destinar os recursos à "conversão ou abertura de lojas e aquisição de terreno, reforma de lojas e infraestrutura em tecnologia da informação, logística e outros", de acordo com comunicado ao mercado.

Apenas no último trimestre de 2010, os aportes feitos envolveram a abertura de 21 lojas e a conversão de outras 117.

A companhia não divulgou número total de lojas abertas em 2010, ano em que a meta seria de 100 inaugurações. Na área de alimentos foram abertas 53 novas lojas no ano.

No comunicado desta quinta-feira, a varejista afirma que o plano de investimentos para 2011 será financiado pela retenção de lucros de 2010, que foi de 514,7 milhões de reais, assim como "por recursos gerados com a atividade operacional da companhia durante o exercício".

A companhia também anunciou nesta quinta-feira a aquisição das ações remanescentes da Sendas Distribuidora, cuja bandeira de "atacarejo" já era detida pelo grupo, por 377 milhões de reais.

LUCRO MAIOR EM 2010

Na noite de quarta-feira, o Pão de Açúcar apresentou lucro líquido de 447 milhões de reais para o quarto trimestre de 2010, comparado a ganho de 203,5 milhões de reais em igual intervalo do ano anterior.

Os números consideram as operações de Ponto Frio (Globex), além de dois meses (novembro e dezembro) de operações da Casas Bahia, adquirida pelo grupo em dezembro de 2009.

Excluindo os dados da Nova Globex, que passou a concentrar os ativos de eletroeletrônicos do grupo --incluindo Ponto Frio, Casas Bahia e comércio eletrônico--, o lucro líquido do período teria sido de 498 milhões de reais.

O Ebitda foi de 769,3 milhões de reais nos três meses até dezembro, contra 519,6 milhões um ano antes. A margem Ebitda, por sua vez, caiu de 8,6 para 7 por cento no trimestre.

No acumulado do ano passado, a companhia alcançou lucro líquido de 722,4 milhões de reais, ante 654 milhões em 2009. Sem considerar os números da Globex, o ganho anual teria sido de 819,2 milhões de reais.

Já o Ebitda no fechado de 2010 totalizou 2,1 bilhões de reais, com margem de 6,4 por cento.

O Pão de Açúcar teve vendas líquidas de 11,04 bilhões de reais no período de outubro a dezembro de 2010 ante 6,043 bilhões em igual trimestre do ano anterior.

Em 2010 como um todo, as vendas líquidas da maior varejista do país somaram 32,09 bilhões de reais ante 20,76 bilhões em 2009.

A Nova Globex encerrou o quarto trimestre com prejuízo líquido de 73,8 milhões de reais. No ano, as perdas foram de 59,8 milhões de reais.

Já as despesas operacionais da Nova Globex no ano totalizaram 1,556 bilhão de reais, o equivalente a 18,1 por cento das vendas líquidas.

As vendas líquidas de Globex foram de 4,5 bilhões de reais no quarto trimestre e de 8,6 bilhões de reais no ano.

(Por Vivian Pereira)

Tudo o que sabemos sobre:
VAREJOPAODEACUCARINVESTIMENTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.