Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Pão de Açúcar emite debêntures para aliviar contas no 1º semestre

Rede de varejo alonga dívida de R$ 610 milhões com vencimento nos próximos meses para janeiro de 2014

Fernando Scheller, O Estado de S.Paulo

29 de dezembro de 2010 | 00h00

A rede de varejo Pão de Açúcar, líder no segmento no País, vai emitir R$ 610 milhões em debêntures para alongar o prazo de operações com vencimento no primeiro semestre do ano que vem. Como a emissão tem prazo de 36 meses, a empresa alongará o pagamento das obrigações para janeiro de 2014.

A emissão, definida em reunião do Conselho de Administração da companhia em 15 de dezembro, será feita em série único - ao todo, serão 610 cotas de R$ 1 milhão cada. O conselho aprovou também a renovação de um contrato de crédito com o Banco do Brasil, no valor de R$ 250 milhões, que venceria em junho de 2011.

Segundo analistas ouvidos pelo Estado, o alongamento de dívidas faz sentido para o grupo, que realizou várias aquisições recentemente e precisa de caixa tanto para financiar uma maior participação da venda de eletrodomésticos em sua receita - segmento em que boa parte das vendas é feita a prazo - e para fazer novas compras. Conforme informações de mercado, o Pão de Açúcar teria interesse em crescer no varejo de medicamentos e em postos de gasolina.

Uma analista que acompanha a ação do banco, mas preferiu não se identificar, considera que o custo da troca da dívida - que paga um adicional de 7% sobre o CDI - está em linha com o valor anterior. Valeria a pena, portanto, adiar os pagamentos vencendo na primeira metade de 2011.

Novas operações. Para o sócio-diretor da consultoria Alvarez & Marsal, Eduardo Seixas, é provável que o grupo faça outras emissões de debêntures ao longo do próximo ano para garantir o capital de giro, especialmente nas operações da Casas Bahia e do Ponto Frio. "É um recurso normal no mercado. O Pão de Açúcar é o maior varejista do País e tem saúde financeira", ressalta. "E varejo se faz com escala. Eles mostraram um apetite grande nos últimos dois anos e podem vir a fazer novas aquisições."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.