Pão de Açúcar quer área de vendas 7% maior em 2008

O Grupo Pão de Açúcar pretende aumentar a área de vendas de suas lojas, de todas as bandeiras, em 7% no ano que vem, afirmou o diretor administrativo financeiro do grupo, Enéas Pestana. Em 2007 o crescimento deve ser de 6% em relação ao ano anterior. Para 2009, a companhia espera registrar aumento de 10% na área de vendas.No caso da bandeira Assai, adquirida recentemente, o foco será a ampliação da rede. De acordo com o presidente do conselho de administração do grupo, Abílio Diniz, o número de novas lojas do Assai poderá chegar a 20 no próximo ano. Hoje, foi anunciado um plano de conversão de 14 lojas do grupo à bandeira de "atacarejo". Desse total, três serão unidades antigas do Pão de Açúcar, nove do CompreBem e duas do Extra.Segundo Pestana, o gasto médio para conversão por unidade é de R$ 5 milhões. "Em compensação, as vendas serão multiplicadas por quase três vezes", prevê o executivo, referindo-se à rede Assai.O executivo destacou que em 2008 a companhia reforçará o posicionamento e o modelo de definição de preços para cada uma das bandeiras do grupo. A intenção da empresa é tornar os formatos mais adequados aos públicos atendidos e assim obter também melhoria no desempenho operacional.Comércio eletrônicoO Grupo Pão de Açúcar também espera avanços na operação de comércio eletrônico, que hoje é realizada pelos sites da bandeira Extra e o serviço Pão de Açúcar Delivery. De acordo com Pestana, a intenção é de registrar alta de 130% no faturamento com o site da bandeira Extra em 2008, ao passo que esse índice deve fechar 2007 em torno de 90% na comparação com o ano anterior. Na operação de comércio eletrônico como um todo, a meta é alcançar vendas de R$ 1 bilhão em 2010. CPMFO Grupo Pão de Açúcar calcula que economizará cerca de R$ 60 milhões em 2008 devido ao não pagamento da CPMF. De acordo com Pestana, sem o imposto compulsório o ganho será de aproximadamente R$ 15 milhões por trimestre. O executivo não detalhou a origem específica dos valores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.