Divulgação
Divulgação

coluna

Thiago de Aragão: investidor estrangeiro vê como irreal promessa de Guedes de 4 privatizações em 90 dias

Pão de Açúcar vai encarar a crise

Grupo assume compromisso de ajudar a economia

Fernando Scheller, O Estado de S.Paulo

01 de dezembro de 2015 | 02h06

A crise econômica será abordada diretamente na nova campanha do Grupo Pão de Açúcar. Depois de detectar, em uma pesquisa, que mais de 70% dos brasileiros não acreditam que o setor privado vá fazer esforço efetivo para recuperar a confiança na economia, a empresa diz ter percebido que chegou a hora de agir. Com a consultoria do instituto Data Popular, a empresa vai lançar hoje o movimento "Vamo Junto", em que o grupo, controlado pela multinacional francesa Casino, promete fazer sua parte para que o consumidor continue a ter acesso a novos produtos.

A campanha institucional é protagonizada pelos atores Taís Araújo e Lázaro Ramos (um casal na vida real) e foi criada pela agência Young & Rubicam. O grupo diz que o compromisso da empresa com o movimento será percebido em todas as bandeiras (como o supermercado Pão de Açúcar, o hipermercado Extra, a rede de eletrodomésticos Casas Bahia e o atacarejo Assai) por meio de ofertas atraentes, fruto de negociações com fornecedores.

Segundo Líbano Barroso, vice-presidente de operações do GPA, a parceria com o instituto Data Popular, dedicado a estudos sobre a classe C, foi fundamental na definição de estratégias. A empresa vai tentar direcionar as ofertas nas lojas às demandas do consumidor. A ideia, segundo Renato Meirelles, presidente do Data Popular, é ficar atento a categorias que o consumidor está disposto a consumir, com ofertas adaptadas ao perfil de cliente de cada bandeira do GPA.

Entre os produtos que hoje estão em alta no gosto do consumidor estão lavadoras de roupa (só 50% dos lares têm o eletrodoméstico no País), produtos de beleza e smartphones. "Hoje, é importante economizar em qualquer categoria, pois isso libera renda para outros tipos de gastos, seja em produtos ou lazer", diz Meirelles.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.