Reuters
Reuters

Papéis brasileiros disparam na Europa, Japão e pré-mercado de NY com eleição de Bolsonaro

Fundos de índices, os ETFs, dispararam nas primeiras horas de negócio na Europa e no pré-mercado de Nova York com resultado da corrida eleitoral

Célia Froufe, correspondente, O Estado de S.Paulo

29 de outubro de 2018 | 08h30

LONDRES- Os fundos de índices (ETF, na sigla em inglês) brasileiros na Europa dispararam nas primeiras horas de negócio na Europa e no pré-mercado de Nova York, depois de um salto ainda maior ter sido visto em Tóquio, na madrugada. O movimento é uma reação à vitória do candidato do PSL, Jair Bolsonaro, nesta domingo, 28, na disputa pela Presidência da República.

Os ETFs (Exchange Traded Funds, na sigla em inglês) são fundos que replicam índices e têm cotas negociadas em Bolsa. Ao comprar uma cota de um ETF, o investidor tem um retorno quase idêntico ao índice que aquele fundo espelha. Por exemplo: o investidor pode comprar um ETF que replica o índice Bovespa, em vez de comprar todas as ações que compõem o indicador.

Já os American Depositary Receipts (ADRs) - que são papéis de empresas de fora dos Estados Unidos negociados no mercado de ações americano - da Petrobrás e da Vale operavam em forte alta nos negócios do pré-mercado em Nova York na manhã desta segunda-feira. Por volta das 8h20 (de Brasília), o ADR da petroleira saltava 8,56%, a US$ 17,63. Mais cedo, em torno das 8h, o ADR da mineradora subia 3,85%, a US$ 15,65.

Às 6h03 (de Brasília), o ETF HSBC Brazil disparava 7,44%, comercializado a 18,49 euros, ante 17,21 euros do fechamento de sexta-feira (26), na Bolsa de Frankfurt. Em Londres, o CSBR iShares MSCI Brazil Ucits (ACC) era cotado a US$ 79,31, ante US$ 73,84 da sessão anterior, com alta de 7,40%. A elevação do IBZL (Dist) era de 7,34%, comercializado a 2.618,12 libras esterlinas, ante 2.501,12 libras do fim de sexta-feira.

Durante a madrugada, em Tóquio, o Next Funds Linked ETF chegou a subir 14% (comercializado a 220 ienes). No encerramento das atividades financeiras do Japão, no entanto, a alta acabou sendo levemente menor, de 10,88%, com o papel cotado a 214 ienes, ante 193 ienes na sessão anterior.

Em Nova York, onde há o maior volume de negociação de um ETF brasileiro, o EWZ, a disparada do preço também era registrada há pouco no pré-mercado. Os papéis eram comercializados a US$ 45,52, ante US$ 40,04 na sexta-feira, uma elevação de 6,19%.

Mais conteúdo sobre:
bolsa de valoreseleições 2018

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.