Spencer Platt/AFP
Spencer Platt/AFP

Papéis de empresas brasileiras têm forte queda em Nova York

Bolsa brasileira não funcionou ontem, mas papéis de companhias locais despencaram nos EUA

Altamiro Silva Junior, SÃO PAULO

25 de fevereiro de 2020 | 05h00

Os papéis de empresas brasileiras fecharam a segunda-feira com fortes perdas em Nova York, em meio aos temores gerados pela rápida disseminação do coronavírus fora da China, que provocou forte estresse no mercado financeiro internacional.

O American Depositary Receipt (ADR) – recibos que representam ações e são negociados na Bolsa de Valores de Nova York – da Vale ficou com uma das maiores perdas do dia, de 7,53%. O papel da Petrobrás fechou em baixa de 6,77%.

Os grandes bancos também amargaram perdas importantes, embora menores que as de Petrobrás e Vale. O ADR do Itaú recuou 3,67%, o do Bradesco perdeu 3,31% e o do Santander caiu 4,21%.

Para o diretor de Operações da gestora Mirae Asset, Pablo Spyer, mesmo com a Bolsa e o mercado de juros futuros e câmbio fechados no Brasil, por conta do carnaval, é possível ter uma ideia de como seriam as perdas caso estivessem em operação.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.