Para agência sanitária, região está bem vigiada

O presidente da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) de Mato Grosso do Sul, Roberto Bacha, garante que não há risco de o gado paraguaio com aftosa entrar no Brasil porque a fronteira está bem vigiada. Segundo ele, de quatro a oito barreiras volantes controlam o trânsito de gado na faixa de segurança, com apoio do Departamento de Operações de Fronteira da Polícia Militar.Bacha informa que as barreiras fixas foram desmontadas depois que o Ministério da Agricultura reconheceu que a aftosa está sob controle. Ao ser informado que a reportagem encontrou gado solto na Linha Internacional, Bacha interrompeu a entrevista pelo telefone e pediu que as informações fossem encaminhadas ao seu e-mail. Até a tarde de sexta-feira, não tinha dado retorno. Sobre o posto de fiscalização de Guaíra, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Paraná informou que a unidade foi interditada após afundamento na área de passagem dos veículos. Segundo o responsável pela área de Trânsito Animal, Paulo Borba, as obras são de responsabilidade da Receita Estadual.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.