Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

Para AIE, queda nos preços de petróleo não deve prejudicar oferta no curto prazo

A agência reduziu suas expectativas de crescimento da demanda pela commodity no próximo ano e continua a ver um aumento robusto da produção dos países de fora da Opep

Estadão Conteúdo

12 Dezembro 2014 | 08h28

A queda atual dos preços do petróleo não deve prejudicar a oferta global ou atingir a demanda, pelo menos no curto prazo, disse a Agência Internacional de Energia (AIE) nesta sexta-feira.

Apesar de uma queda de mais de 40% nos preços do petróleo desde junho, a agência reduziu suas expectativas de crescimento da demanda por petróleo no próximo ano e continua a ver um aumento robusto da produção dos países de fora da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP).

Pode levar "algum tempo para a oferta e a demanda responderem à queda dos preços", disse a AIE em seu relatório mensal.

Normalmente, os preços mais baixos incentivam o aumento do consumo, mas o lento crescimento econômico global e o impacto negativo que um fraco mercado está tendo sobre as economias exportadoras de petróleo devem afetar o crescimento da demanda no próximo ano.

A AIE prevê que a demanda por petróleo vai aumentar em 900 mil barris por dia em 2015, uma revisão para baixo em 230 mil barris por dia, a partir do relatório anterior. A expectativa correspondeu apenas a um modesto aumento ante a elevação deste ano na demanda, de 700 mil barris por dia, o nível mais fraco em cinco anos.

Embora as empresas de petróleo já estejam cortando gastos em resposta a preços mais baixos, muitos dos projetos previstos para alimentar a produção no próximo ano já foram pagos, levando qualquer impacto sobre a produção para o futuro. "Cortes de gastos de óleo de hoje devem brecar a oferta - mas não agora", disse a AIE.

Além disso, de acordo com a AIE, a OPEP reduziu sua produção de petróleo em 315 mil barris por dia em novembro, em grande parte devido a problemas de fornecimento na Líbia. No entanto, em 30,3 milhões de barris por dia, a produção da OPEP permaneceu confortavelmente acima de seu limite máximo firmado entre os membros do grupo, de 30 milhões de barris por dia, apesar de enfraquecimento da demanda por seu petróleo. A AIE reduziu a previsão para demanda por petróleo da OPEP em 2015 em 300 mil barris por dia, para 28,9 milhões barris por dia. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
mundopetróleoAIEpreçosoferta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.