Para Amorim, debate agrícola na OMC precisa de grande esforço

O Brasil acredita que as negociaçõessobre agricultura na Organização Mundial do Comércio aindaprecisam de muito trabalho se os envolvidos quiserem que oencontro da semana que vem tenha resultado relevante, afirmouneste sábado o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim. Em Genebra, antes da reunião em que ministros discutirão oesboço de um acordo mundial de comércio, Amorim disse quealguns mitos em torno do pacto. "Um desses mitos é de que a agricultura está quase pronta eque todo o problema agora é NAMA", afirmou o chanceler, citandoo jargão da OMC para bens industriais. "Essa é uma afirmação de objetivo pessoal daqueles que nãoquerem realizar suas tarefas na agricultura, que foi, tem sidoe é o motor do mundo." As negociações da próxima semana terão foco no corte detarifas e subsídios, e as principais exceções a eles nas áreasda agricultura e da indústria. As conversas também abrangerão aperspectiva de mais liberalização em serviços, como o bancário. Os ministros também esperam alcançar parâmetros para umacordo sobre a rodada de Doha, lançada no fim de 2001 paraabrir o comércio mundial e que pode ser completada nos próximosmeses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.