Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Para analistas, País vai crescer 2,5% em 2009

A queda da atividade industrial anunciada na semana passada prejudicou ainda mais as perspectivas para a economia em 2009. Pesquisa com analistas do mercado financeiro mostra que a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) caiu de 2,8% para 2,5%. Há quatro semanas, era de 3%. Mesmo com a atividade em desaceleração, o mercado acredita que o juro não deve cair na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom). Se a previsão para o PIB for confirmada, o crescimento da economia cairá à metade no ano que vem, já que o mercado aposta em expansão de 5,24% em 2008.Para Marcela Prada, economista da Tendências Consultoria, a pesquisa revela "a percepção de que os efeitos da crise sobre a economia brasileira serão piores do que se esperava". Para ela, não é surpresa observar a deterioração das expectativas após os números industriais ruins da semana passada. Mesmo diante de um cenário nada animador, o mercado mantém previsão de que o juro não cairá na reunião que começa hoje e decide a taxa Selic amanhã. Para os analistas, a taxa deve seguir em 13,75% até o fim do segundo semestre de 2009. A partir do meio do ano, haverá espaço para duas reduções de 0,25 ponto porcentual, o que faria com que a Selic terminasse 2009 em 13,25%.

Fernando Nakagawa, O Estadao de S.Paulo

09 de dezembro de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.