Para Canadá, conflito com Brasil está superado

O ministro do Comércio canadense, James Peterson, disse ontem que o Canadá quer "virar a página" dos conflitos com o Brasil e restabelecer as relações entre os dois países. "Superamos nossas diferenças e agora queremos nos reaproximar", disse Peterson ontem, após almoço organizado pela Câmara de Comércio Brasil-Canadá. Peterson referia-se aos conflitos comerciais entre a Bombardier e a Embraer iniciados em 1996, com queixas dos canadenses de que o Proex (Programa de Apoio às Exportações) estaria subsidiando a empresa brasileira. A disputa foi parar na Organização Mundial do Comércio (OMC).Logo depois, o Canadá suspendeu as importações de carne brasileira dizendo, sem ter provas, que o rebanho do Brasil estava contaminado com a doença da vaca louca. O incidente causou grandes prejuízos para o Brasil, na época, e desde então as relações entre os dois países ficaram estremecidas. O comércio bilateral hoje, é de apenas US$ 2,1 bilhões, sendo que o Brasil exporta US$ 1,4 bilhão e importa US$ 638 milhões do Canadá, que não está entre os maiores parceiros comerciais do País.De manhã, em uma mesa redonda fechada com empresários brasileiros, Peterson propôs uma aproximação entre os dois países e sugeriu até tratados bilaterais de comércio com o Brasil. Mas o ministro fez questão de mostrar seu apoio às negociações multilaterais. Para ele, Brasil e Canadá, grandes produtores agrícolas, teriam muito a ganhar com o sucesso da Rodada Doha. "Essas negociações são as únicas que podem acabar com os subsídios dos EUA e União Européia à agricultura", disse Peterson.Peterson elogiou a atuação de Celso Amorim, ministro das Relações Exteriores, em Genebra, em julho. "Ele fez um ótimo trabalho, agora só precisamos pôr carne e osso nessas molduras de acordos." Em seu discurso, ele defendeu a Área de Livre Comércio das Américas (Alca). "Parece que os benefícios da Alca não virão de forma tão rápida como pensávamos, mas a visão da Alca continua válida", disse. "O Canadá apóia fortemente uma Alca abrangente, de alta qualidade." Mas Peterson afirmou que o Canadá também está discutindo a liberalização do comércio bilateral para aumentar o intercâmbio com o Brasil.O primeiro-ministro do Canadá, Paul Martin também realçou a aproximação entre os dois países em seu discurso. "Eu acredito que vamos fazer avanços bilaterais e multilaterais". Apesar da boa vontade demonstrada, jornalistas canadenses disseram que empresários de seu país ainda eram tratados com reservas pelos brasileiros, simplesmente pelo fato de serem do Canadá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.