Para CBIE, desempenho da Petrobras poderia ter sido melhor

Apesar de ter apresentado um lucro recorde no ano de 2006, conforme seu balanço financeiro divulgado na terça-feira, 13, a Petrobras poderia ter apresentado um desempenho melhor, caso não tivesse segurado os preços do diesel e da gasolina no mercado interno, comentou nesta quarta o diretor do Centro Brasileiro de Infra-estrutura (CBIE), Adriano Pires. "O resultado foi bom, mas poderia ter sido ainda melhor, se a empresa tivesse repassado para o mercado interno os preços internacionais mais altos do que no Brasil durante o ano todo, com exceção do quarto trimestre", comentou.Para o analista do Credit Suisse, Emerson Leite, o principal aspecto positivo a ser destacado no balanço da Petrobras é que o volume de vendas apresentou bom desempenho no quarto trimestre, apesar da desfavorável sazonalidade. Além disso, o balanço também demonstrou a redução das dívidas companhia e a perspectiva de recompra de ações. Já entre os aspectos negativos relatados pelo analista está a continuidade já esperada da pressão de preços altos e custos elevados para exploração e produção.Para outro analista de instituição financeira de São Paulo, é preocupante também o fato de a Petrobras não ter cumprido as metas a que se propunha para o ano que passou, como a da média de produção e ainda a meta de superávit. A estatal esperava inicialmente um superávit de R$ 3 bilhões, que acabou se resumindo em R$ 420 milhões.Os analistas, entretanto, esperam um começo de ano positivo, com a venda de estoques adquiridos com os preços do barril mais baixos do que os estoques adquiridos com preços altos no terceiro trimestre. Outro fator que deve influenciar positivamente é a melhora na performance das plataformas P-34, FPSO Capixaba e P-50, que apresentaram problemas na entrada em operação no ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.