Para CEEE, preço do megawatt reflete falta de energia

O presidente da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) do Rio Grande do Sul, Delson Luiz Martini, disse que o preço recorde do megawatt/hora da energia a curto prazo, que chegou a R$ 569,59 neste final de semana, mostra problemas no abastecimento. "Isto não é especulação de mercado, é escassez de energia mesmo", afirmou, em nota distribuída à imprensa.Segundo Martini, que é membro do Conselho de Administração do Operador Nacional do Sistema (ONS), "as empresas que optaram pela energia do mercado livre e que tiveram seus contratos encerrados neste período de escassez terão grandes dificuldades de encontrarem disponibilidade do produto". Na semana passada o preço de liquidação de curto prazo da energia era de R$ 472,00 o megawatt, marca que já era considerada recorde, porque correspondia a um reajuste de 92% em relação à semana anterior. Agora, novamente, em apenas uma semana o preço subiu mais 20%.Martini também ressaltou que a sociedade deve absorver mais rapidamente a cultura do uso racional de energia elétrica para se prevenir contra os fatores que geram escassez. Ele confirmou ainda que vai procurar os dirigentes das outras duas distribuidoras no Rio Grande do Sul, a AES Sul e a Rio Grande Energia (RGE), para desenvolver programas conjuntos de conscientização para o uso eficiente de energia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.