Para consultor, governo dá "show de bola"

O consultor Cláudio Frischtak (ex-Banco Mundial) comentou ontem o cenário positivo provocado pela perspectiva de uma revisão para melhor do rating do Brasil e o otimismo no mercado financeiro. Para ele, a há uma conjunção de fatores, de certo modo inesperados, que explicam essa expectativa otimista. Segundo ele, surpreenderam a ascensão das economias americana e européia e, internamente, a eficácia política do governo Lula. "Eu acho que o governo está dando um show de bola da sua capacidade de influenciar e de passar a legislação no Congresso", afirmou o consultor durante entrevista ao Conta Corrente, na Globo News. "Havia uma perspectiva, no início do ano, de que haveria problemas sistemáticos com o Congresso, o que não está acontecendo." O economista-chefe do ING, Marcelo Salomon, acha que esse otimismo demonstra que o mercado está antecipando um provável upgrade do Brasil, influenciado pela elevação dos ratings da Rússia e de países do Sudeste Asiático, mas também por uma melhoria no País. "Os mercados estão hoje precificando o fato de que o governo melhorou na parte fiscal", salientou o economista.Salomon sugeriu que para aproveitar o bom momento o Brasil deveria alterar o perfil da dívida pública, diminuindo o estoque de dívida cambial e alongando os vencimentos. "Esta quarta-feira foi um dia excepcional: eu acho que as pessoas estão começando a precificar com maior probabilidade um evento de upgrade do Brasil. Isto está mais condicionado com uma melhora fiscal de fato e também chegando a um nível mais baixo da dívida indexada ao dólar."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.