Para conter inflação, China eleva juro pela 6ª vez em 2007

O governo da China anunciou ontem a sexta elevação de 2007 das taxas de juros cobradas em depósitos e empréstimos bancários. Como nas outras ocasiões, o objetivo é evitar o superaquecimento e conter as pressões inflacionárias. O Banco do Povo da China disse que, a partir de hoje, a taxa para os empréstimos em yuans em um ano passa a 7,47% - 0,18 ponto porcentual acima do nível anterior. A taxa para os depósitos em yuans para um ano vai a 4,14%, 0,27 ponto porcentual acima do nível anterior. Nos 12 meses encerrados em novembro, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) chinês subiu 6,9%, maior alta em 11 anos. O Índice de Preços ao Produtor, que reflete a escalada dos preços no atacado, subiu 4,6% na mesma base de comparação, maior elevação desde 2005. Incluindo a elevação desta quinta-feira, o BC chinês elevou as taxas de referência de empréstimo oito vezes desde abril do ano passado e a taxa de depósito para um ano sete vezes desde agosto de 2006.A China anunciou no início do mês que, em 2008, ajustará sua política monetária, após uma década de "moderação", para evitar um "superaquecimento" da economia. AGÊNCIA INTERNACIONAIS

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.