Para diretor do BC, País está melhor do que em 2008

Brasil está mais confortável para enfrentar eventual aperto global de liquidez, diz Aldo Mendes

Glauber Gonçalves e Vinivius Neder, da Agência Estado,

29 de junho de 2012 | 13h05

RIO - O Brasil está em situação mais confortável do que em 2008 para enfrentar um eventual aperto global de liquidez, disse nesta sexta-feira o diretor de Política Monetária do Banco Central, Aldo Mendes. Segundo ele, as reservas internacionais e os depósitos compulsórios são "colchões de liquidez", que permitiriam ao País oferecer linhas de crédito em dólares e reais, respectivamente, em caso de agravamento da situação externa e escassez de financiamento.

"O Brasil tem uma situação extremamente confortável, mais confortável do que aquela que existia em 2008", afirmou durante palestra em evento sobre a crise global realizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) na Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan).

Mendes avaliou ainda que o ritmo de crescimento da economia brasileira deve acelerar ao longo de 2012 e que a inflação segue sua trajetória de convergência para o centro da meta (4,5%). O diretor do BC estimou que o País deve entrar em 2013 com a economia em reta de ascensão. "Entramos em 2012 com avião fazendo um pouso. O ''carry'' (efeito de carregamento estatístico) de 2011 para 2012 é negativo. Na próxima virada de ano, vai ocorrer efeito inverso. Vamos jogar um ''carry'' positivo para 2013", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
crise globalseminárioMendes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.