Para diretor-gerente do FMI, dólar não está fraco

O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, disse hoje que o dólar está sendo negociado em um nível justo nos mercados globais de câmbio e que não deve ser pressionado para baixo no futuro próximo.

AE-DOW JONES, Agencia Estado

13 de junho de 2009 | 15h09

Falando durante o encontro dos ministros das finanças do G-8 em Lecce, na Itália, Strauss-Kahn rebateu insinuações de que um dólar fraco poderá ser um problema para a economia mundial.

"Não acho que o dólar esteja fraco", disse, acrescentando que a maioria dos economistas teria previsto que o dólar despencaria numa crise como a atual. Para ele, o dólar hoje está avaliado corretamente pelos mercados.

Strauss-Kahn também minimizou as preocupações de que os planos da Rússia de reduzir seu estoque de títulos do Tesouro norte-americano em favor de papéis do FMI possam afetar o dólar.

Ele disse que o montante, de US$ 10 bilhões, não irá afetar a relação entre a Rússia e o Tesouro dos EUA, e que a medida mostra a disposição do país de ser um membro ativo do Fundo.

Em relação à crise, o diretor-gerente do FMI disse que as perspectivas para a economia mundial para 2010 melhoraram, mas ainda é cedo para os países implementarem as chamadas "estratégias de saída" reduzindo déficits, já que a recuperação ainda não ganhou força e a crise ainda não acabou.

Tudo o que sabemos sobre:
criseFMIdólar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.