Para Duhalde, modelo econômico do Cone Sul fracassou

O presidente Eduardo Duhalde afirmou nesta quarta-feira que a crise que assola os países do Cone Sul demonstra "o colapso do modelo econômico colocado em andamento há alguns anos". Duhalde, conhecido popularmente como "El Cabezón" - O Cabeção - disse ser "evidente" que é preciso mudar de modelo. Ele também admitiu que a crise do Uruguai é resultado dos problemas na Argentina. Segundo Duhalde, se houver acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI) será possível implementar uma saída para o "corralito" (semi-congelamento de depósitos). SuperávitA Argentina teve um superávit comercial de US$ 1,526 bilhão em junho, uma queda de 13% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo o Instituto de Estatíticas e Censos (Indec). As importações, de apenas US$ 687 milhões, despencaram 61% em comparação a junho de 2001. O melhor desempenho deste ano foi proporcionado pela desvalorização do peso, que reduziu o custo das vendas argentinas ao exterior, além da queda drástica das importações, provocadas tanto pelo alto valor do dólar, como pelo agravamento da recessão que toma conta do país.No primeiro semestre deste ano, as exportações somaram US$ 12,4 bilhões, uma queda de 7% em relação ao mesmo período do ano passado. As importações totalizaram US$ 4,23 bilhões, uma redução de 63% ante o mesmo período de 2001. Ainda segundo o Indec, o consumo dos serviços públicos caiu 9,6% em junho, em comparação com o mesmo mês do ano passado. A queda acumulada no primeiro semestre deste ano foi de 11% em relação a junho de 2001.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.