Para 'Economist',adversário da China é a Índia, não os EUA

Três dias após a divulgação da notícia de que a economia da China se tornou a segunda maior do mundo no segundo trimestre deste ano, a revista "The Economist" publica uma reportagem de capa apontando que o maior adversário do gigante asiático não são os Estados Unidos, mas sim a Índia.

, O Estado de S.Paulo

20 de agosto de 2010 | 00h00

A reportagem cita alguns pontos de conflito entre os interesses dois gigantes asiáticos que podem dar trabalho para a China consolidar sua liderança na Ásia, incluindo questões militares, econômicas e geopolíticas. Os investimentos chineses na capacidade tecnológica das Forças Armadas "enervam os vizinhos e rivais regionais", diz o texto.

No campo econômico, China e Índia, que dependem de energia importada, disputam os mesmo fornecedores no mercado internacional. Na questão geopolítica, a China, que já tem um assento permanente no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas, "faz manobras para bloquear" o acesso da Índia a uma vaga equivalente no mais importante conselho da

"A China e a Índia deveriam desempenhar um papel mais importante na formação das regras que governarão o século 21. Isso requer concessões do Ocidente. Mas também requer compromisso, por parte da China e da Índia, com uma ordem internacional baseada em regras. Um esforço sério para resolver suas próprias divergências é uma boa forma de começar", opina a revista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.