Para economistas, crise nos EUA acaba este ano

Para nove entre dez economistas, a crise americana deve terminar até o fim do ano. Três quartos são ainda mais otimistas e preveem que o cenário melhore já no fim do terceiro trimestre, segundo pesquisa da NABE, uma associação que reúne economistas da área empresarial e cujas opiniões estão geralmente em sintonia com o pensamento de Ben Bernanke, o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos).As projeções positivas ocorrem um dia depois de ser divulgado o maior aumento no índice de confiança dos consumidores americanos em seis anos, que já se aproxima de níveis anteriores ao agravamento da crise, em setembro do ano passado.Nenhum dos 45 economistas entrevistados diz acreditar que a recessão passa do primeiro semestre de 2010. "Apesar de o tom ainda ser ameno, estão claros os sinais de que a economia começa a se estabilizar", disse o presidente da NABE, Chris Varvares. "Os economistas da área empresarial veem a recessão terminando em breve, mas a recuperação deve ser consideravelmente mais moderada do que usualmente ocorre depois de quedas expressivas." O motivo, de acordo com economistas, é a dificuldade para sair de recessões que envolvem crises financeiras.Mas o índice de desemprego, de acordo com os economistas, deve atingir 9,1% neste ano, mais que os 8,9% atuais - no ano passado, era de 5,8%. Caso eles estejam corretos, será o mais elevado índice em 26 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.