Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Para entender

A aplicação de licenças não-automáticas em grande escala sobre produtos Made in Brazil para proteger a indústria nacional é um clássico dos diversos governos argentinos desde os tempos do ex-presidente Carlos Menem (1989-99).

, O Estado de S.Paulo

25 de dezembro de 2010 | 00h00

Mas, desde a chegada do casal Néstor Kirchner (2003) e Cristina Kirchner (2007) ao poder, o mecanismo foi utilizado com mais intensidade.

As licenças "automáticas" consistem em autorizações de importação apresentadas a organismos alfandegários para que um produto entre em outra nação. Nesse caso, a entrada do produto não é administrada - ele ingressa sem restrições.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.