Para evitar pânico é preciso resolver vulnerabilidades, diz Bernanke

Presidente do Federal Reserve defendeu novamente as medidas tomadas para ajudar os mercado e a economia na sequência do início da crise financeira

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

13 de abril de 2012 | 15h52

A causa da crise financeira teve origem nos rompimentos fundamentais dos mercados e regulação, disse presidente do Federal Reserve (Fed) Ben Bernanke, destacando a importância de avançar com uma revisão importante das regulações bancários.

"As vulnerabilidades que subjacentes à crise recente precisam ser totalmente solucionadas", afirmou Bernanke. "Como você sabe, esse processo está em curso nos âmbitos nacional e internacional."

Bernanke defendeu novamente as medidas do Fed para ajudar os mercado e a economia na sequência do início da crise financeira, e explicou porque a crise causou tanto danos em comparação com outros colapsos do mercado financeiro.

"Os pânicos financeiros, sendo em boa medida crises de confiança autoalimentada, são inerentemente difíceis de prever", disse Bernanke.

Comparando os desdobramentos do estouro da bolha das ações de tecnologia no início da década passada e o que aconteceu recentemente, Bernanke disse que "a explicação das diferenças entre os dois episódios devem ser que os problemas nos mercados imobiliários e de hipoteca interagiram com vulnerabilidades mais profundas no sistema financeiro de maneiras que o estouro da bolha de ponto com não o fizeram."

O discurso do presidente do Fed revisitou pontos que ele mencionou em outros discursos anteriores, incluindo uma série de leituras acadêmicas na Universidade George Washington. Os comentários do presidente do Fed foram feito em um texto do discurso que foi preparado para um evento em Nova York realizada pelas instituições de pesquisa Russell Sage Foundation e Century Foundation.

Ele não falou sobre a perspectiva de política monetária e econômica dos EUA em seus comentários. As informações são da Dow Jones.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.