Para evitar paralisação do PAC, Tesouro libera R$ 453,115 mi para Ministério das Cidades

Decisãoestá em linha com as afirmações de Dilma de que não haverá corte nos recursos para obras do PAC

Edna Simão, da Agência Estado,

28 de janeiro de 2011 | 19h14

Para evitar a paralisação de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), o Tesouro Nacional liberou R$ 453,115 milhões para pagamento de despesas pendentes do Ministério das Cidades nas áreas de saneamento básico, habitação e transporte urbano. A decisão da equipe econômica está em linha com as afirmações da presidente Dilma Rousseff de que não haverá corte nos recursos para obras do PAC.

A liberação de recursos ocorre em um momento em que técnicos dos ministérios do Planejamento e Fazenda trabalham em um corte no Orçamento deste ano para conseguir fechar as contas. Nos bastidores, esse ajuste deve ser superior aos cerca dos R$ 30 bilhões de 2009. A orientação da presidente Dilma é fazer mais com menos.

Segundo informações do Ministério das Cidades repassadas ao Estado, serão destinados R$ 17,082 milhões para o PAC do Saneamento; R$ 417,302 milhões para o Programa Minha Casa, Minha Vida; R$ 1,417 milhão para a Companhia de Trens Urbanos (CBTU) e R$ 17,314 milhões para Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre (Trensurb).

No caso do saneamento básico, o dinheiro será utilizado para pagamento de dívidas pela execução de obras, ainda em andamento, de sistema de abastecimento de água, esgotamento sanitário e resíduos sólidos nos estados de Goiás, Maranhão, São Paulo, Rio de Janeiro, Sergipe, Rio Grande do Norte, Ceará, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Bahia e Minas Gerais.

 
Tudo o que sabemos sobre:
PACTesouroMinistério das Cidades

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.