Para ex-presidente da Anac, pressão foi por causa do tempo

'Em nenhum momento fomos pressionados de outra forma', afirmou Zuanazzi

Isabel Sobral e Fábio Graner, Agência Estado

11 de junho de 2008 | 20h55

O ex-presidente da Agência Nacional de Aviação Civil, Milton Zuanazzi, afirmou há pouco que a diretoria da Anac sofria pressão, no caso da negociação da Varig, apenas pela questão de tempo. "O tempo neste caso era fatal porque a cada dia que passava e que a empresa tinha suas dificuldades aumentadas, era preciso encontrar uma solução. Em nenhum momento fomos pressionados de outra forma", afirmou Zuanazzi, sem citar diretamente as acusações da ex-colega, Denise Abreu, de que a Casa Civil teria pressionado a Anac para resolver o processo de venda da Varig. Veja também:Dilma nunca deu ordens expressas, mas fez pressão, diz DenisePara Virgílio, venda da Varig pode levar a nova CPISenadores batem boca sobre 'perdão' da dívida da VarigDenise diz que dossiê pretendia pressioná-la psicologicamenteDenise destaca rapidez incomum na certificação da nova Varig 'Governo arquitetou a saída dos diretores da Anac', diz DeniseTurbulências da Varig   Segundo Zuanazzi, que está depondo na Comissão de Infra-Estrutura do Senado, essas críticas, com relação à urgência, foram levadas por ele ao governo em váriosos momentos. Ainda segundo Zuanazzi, algumas reuniões na Casa Civil, citadas nesta quarta-feira, 11, por Denise Abreu, e que segundo ela serviram para pressionar a diretoria, realmente ocorreram. No entanto, o ex-presidente da Anac afirmou que elas foram necessárias porque naquele momento, em abril de 2006, havia quase um consenso de que a empresa aérea estava falida e era preciso traçar um plano para não deixar os clientes desprotegidos.

Tudo o que sabemos sobre:
VarigMilton Zuanazzi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.