Para Febraban,crédito cresce de forma prudente e dispensa ajuste

O mercado de crédito bancáriobrasileiro tem crescido de forma "prudente" e "estruturada" enão requer ajustes, afirmou nesta quarta-feira o presidente daFederação Brasileira de Bancos e do ABN Amro Brasil, FábioBarbosa. Ele se reuniu nesta tarde com o ministro da Fazenda, GuidoMantega, que esta semana havia manifestado preocupação com onível de alavancagem das instituições. "Foi colocado com muita clareza que o mercado tem seajustado, tem funcionando de maneira muito boa e não existequalquer necessidade de qualquer ajuste", afirmou Barbosa ajornalistas após o encontro. Ele acrescentou que os bancos têm papel importante nocrescimento da economia e são sujeitos à regulamentação e àfiscalização do Banco Central. "O Banco Central tem a sua regulamentação, a suanormatização e tem feito também o seu trabalho, o seu dever decasa, no sentido de apurar exatamente quais são as provisõesque os bancos têm feito", disse. "Está tudo absolutamentetranquilo, a conversa foi absolutamente tranquila." Barbosa afirmou, ainda, que o setor de crédito tem crescidopor volta de 20 por cento nos últimos anos, com uma aceleraçãomaior em 2007, mas sempre "dentro de critérios de avaliação derisco muito prudentes". Participaram também da reunião com Mantega três diretoresdo Banco Central e os presidentes do Bradesco, Márcio Cypriano;do Itaú, Roberto Setubal; do Unibanco, Pedro Moreira Salles, edo Banco do Brasil, Antônio Francisco de Lima Neto. (Por Isabel Versiani; Edição de Alexandre Caverni)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.