Para FGV, expectativas do consumidor estão melhorando

Embora com indicador negativo de 1%, a Sondagem do Consumidor divulgada nesta sexta-feira pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) apontou para melhora da confiança no segundo semestre. O Índice de Expectativas avançou 0,3% na passagem de julho para agosto, após três meses consecutivos de queda: de 1,9% em julho, de 1,8% em junho e de 1,1% em maio. As expectativas, relativas aos próximos seis meses, costumam antecipar o comportamento do mercado consumidor.

FERNANDA NUNES, Agencia Estado

24 de agosto de 2012 | 12h57

"O avanço (de 0,3%) é pequeno, mas expressa que as expectativas estão se recuperando lentamente. O que se espera é que, no segundo semestre, a economia continue com a aceleração lenta, mas acelerando. A perspectiva é de que, com novos postos de trabalho sendo criados, o consumidor irá voltar às compras", afirmou a economista do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV) Viviane Seda.

A FGV calcula, a partir dos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que o desemprego segue crescendo desde o fim do segundo trimestre deste ano, afetando a confiança do consumidor. A situação só deve melhorar no fim do ano, um reflexo das medidas do governo de estímulo à economia e também de motivações sazonais, já que o quarto trimestre é, tradicionalmente, um período do ano em que as pessoas compram mais.

Tudo o que sabemos sobre:
consumidorconfiançaFGV

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.