Para FHC, Copom tomou medida de equilíbrio

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse nesta quinta-feira acreditar que o Comitê de Política Monetária (Copom) tomou na ultima quarta-feira uma "medida de equilíbrio", ao reduzir em 0,50 ponto porcentual a taxa básica de juros (Selic), para 15,25% ao ano. Ressalvando que não gosta de opinar sobre o assunto, classificado por ele de "extremamente delicado", FHC destacou que o Banco Central deve estar preocupado com a inflação, para reduzir apenas em 0,5 ponto. "Há sinais no mundo tanto preocupantes e aqui o gasto público cresceu muito. Acho que usaram medida de equilíbrio diante das circunstâncias", observou. Apesar disso, cobrou uma redução mais efetiva dos juros no País. "Espero que baixem mais", afirmou.Depois de proferir palestra na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) sobre o tema "O Brasil de Hoje e de Amanhã", o ex-presidente também comentou o crescimento de 1,4% do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre de 2006. Fernando Henrique comemorou o índice, mas frisou que o País não terminará o ano com os 6% de crescimento, como sustentam alguns poucos otimistas. "Não há possibilidade, porque não há taxa de investimento que sustente isso. É um desejo, e eu também desejo, mas duvido."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.