Para FHC, redução da dependência externa está em marcha

O presidente Fernando Henrique Cardoso disse hoje que a dependência da economia brasileira do capital externo esta sendo reduzida. Ele disse que, graças ao bom desempenho da balança comercial, a vulnerabilidade externa do País "está caindo para US$ 14 bilhões ou US$ 15 bilhões". "O que hoje tanto se clama já está sendo feito. Na verdade, às vezes a gente custa a perceber os processos que já estão em marcha. O que aconteceu nestes últimos dois anos foi uma verdadeira inversão da tendência da nossa balança comercial", disse em discurso na solenidade de assinatura de atos de promoção do turismo.O presidente anunciou que o Ministério do Turismo será incluído entre os membros da Câmara de Comércio Exterior (Camex), segundo ele, no momento em que a preocupação central do governo é gerar mais recursos em moeda forte. "É justamente no momento em que o País todo sabe que o nosso dever é contribuir para que nós possamos gerar mais recursos em moeda forte. Isso é um truísmo", afirmou. O presidente disse que o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, previu ontem que o superávit da balança comercial deve chegar a US$ 9 bilhões este ano."Fato é que nós estamos gerando uma massa de recursos já muito apreciável, de tal maneira que o famoso gargalo da nossa vulnerabilidade externa está caindo para US$ 14 bilhões ou US$ 15 bilhões", afirmou. "Para um País que tem US$ 600 bilhões de PIB, francamente é nada. Era até melhor não ter este gargalo. Mas é muito pouco".Sem citar nomes, o presidente criticou propostas feitas por candidatos à Presidência para aumentar as exportações e reduzir a dependência de capital externo. "Se começa a propor políticas como se fossem iniciar um processo que já está em marcha", garantiu. "Nós já reviramos pelo avesso a tendência na balança comercial. Já está em marcha, e o turismo já está inserido nesse processo, porque ele gera recursos externos e gera empregos".Fernando Henrique disse que as duas áreas mais sensíveis do Brasil são justamente a necessidade de reduzir as vulnerabilidades externas a ampliar as oportunidades de trabalho.

Agencia Estado,

02 de outubro de 2002 | 17h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.