coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Para Fiesp, ata do Copom mostra que juros poderiam cair

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) voltou a criticar hoje a decisão do Copom de manter a Selic em 18,5% ao ano, tomada há uma semana, e defendeu que havia condições propícias para a queda dos juros, como mostra a ata da reunião, divulgada hoje. "Li a ata e lá estão colocadas todas as condições para que houvesse uma redução dos juros", afirmou a diretora de pesquisas e estudos econômicos da entidade, Clarice Messer. Segundo ela, o Copom acompanhou o ritmo de atividade industrial e da economia, acompanhou os índices de inflação e também o câmbio. "Nem o nível de atividade nem a volatilidade do câmbio estão comprometendo as metas de inflação", explicou. "Não estamos sob pressão de preços", defendeu. Segundo ela, o IPCA-15 de 0,42% divulgado ontem mostra que os preços livres não estão pressionados. "Mesmo com a volatilidade do câmbio, os preços livres só cresceram 0,05% dentro do índice", disse. Para ela, o Copom tomou conhecimento do ritmo da atividade mas, "na hora de tomar a decisão, deu muito pouco peso para isso".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.