Para Fraga, mudanças com SPB são administráveis

O presidente do Banco Central, Armínio Fraga, abriu o seminário sobre o impacto do novo Sistema de Pagamentos Brasileiro, o SPB, nas empresas. Ele afirmou que, para o cidadão, quase nada vai mudar. Para as empresas, segundo Fraga, desde que sejam feitas adaptações às mudanças são perfeitamente administráveis. "Isto tem um custo em termos de tempo mas tenho certeza que é um investimento inicial que mais do que se pagará", afirmou. Fraga disse também que hoje o sistema de fiscalização do BC está mais forte e que a grande mudança é o SPB. "Com isso (o SPB) o próprio sistema adquire capacidade de se supervisionar", afirmou, lembrando que a criação do sistema vem junto com a criação do Departamento de Supervisão Indireta do BC - Desin, para acompanhar indicadores.Ao defender a importância do SPB, o presidente do BC afirmou ainda que se pode ver o que é viver sem sistema financeiro na Argentina, onde a crise atinge proporções "bastante elevadas". Após abrir o seminário, Fraga deixou a Fundação Getúlio Vargas, onde ocorre o evento, sem dar entrevistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.