Para Furlan, crescimento da indústria paulista não é surpresa

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, afirmou que não foi uma surpresa a divulgação, hoje pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), de um crescimento de 0,79% do nível de emprego na indústria paulista em junho, na comparação com maio. Segundo Furlan, os números eram esperados porque o País vem crescendo desde o último semestre de 2003. Otimista, Furlan afirmou que a meta de crescimento econômico de 4% neste ano passa a ser "um desafio bastante factível e até possível de ser ultrapassada". Furlan acaba de instalar o Fórum Nacional da Cadeia Produtiva de Gemas e Jóias. Trata-se do 14º fórum instalado desde o início do ano passado. O principal objetivo desse grupo será estudar as condições para que o setor deixe de ser um exportador de matérias-primas e possa crescer, no mercado externo, com produtos acabados, que em geral têm o valor 100 vezes maior que as peças em bruto. De acordo com dados do setor, o mercado brasileiro absorve menos de 10% da produção de gema do País e 80% da produção de jóias. Em 2002, as exportações corresponderam a 47% da produção nacional mas estiveram concentradas em matérias-primas. Em geral, a indústria de máquinas destinadas a lapidação ainda é muito incipiente.Furlan afirmou que o setor conta com um extraordinário potencial de expansão no País e poderá contribuir para as economias locais por meio da multiplicação da renda, do emprego e de divisas. Ele lembrou que regiões que possuem matérias-primas atualmente não podem desfrutar dos benefícios que estes recursos trariam por falta de "arrumação dessa cadeia produtiva". A cerimônia de instalação contou a presença da primeira-dama, Marisa Letícia, que abriu também uma exposição de jóias brasileiras no Hotel Nacional em Brasília.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.