Para G24, ação decisiva de países ricos é essencial contra crise

Países em desenvolvimento pediramnesta sexta-feira ações "decisivas" dos países industrializadospara garantir que a turbulência financeira originada nosEstados Unidos não se espalhe. O G24, que reúne países em desenvolvimento de África, Ásiae América Latina, também pediu que o Fundo MonetárioInternacional (FMI) melhore "com urgência" seu monitoramentodos EUA e de outras economias avançadas. Até agora, as economias emergentes foram pouco afetadaspela crise, mas elas temem que possa haver uma desaceleraçãomais forte do crescimento global e aperto dos mercados decrédito. Um comunicado do G24 também chamou as nações ricas para quedêem mais ajuda aos países mais pobres para que lidem com asconsequências da crise financeira e as pressões advindas dosaltos preços de alimentos. Tal ajuda deveria ser uma adição --e não parte-- de umacolaboração já prometida para ajudar países pobres, afirmou oG24 após a reunião semestral do FMI e do G7, em Washington. O grupo também pediu que o Fundo ajude a amortecer oimpacto da crise do subprime. "Os mercados emergentes e os países em desenvolvimento vãoprecisar de flexibilidade no que diz respeito às políticasfiscal e monetária para suavizar o impacto de choques externosem suas economias, e de regulação e supervisão mais fortes paramelhorar a resistência de seus sistemas financeiros", apontou ocomunicado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.