finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Para IBP, GNV ainda é a alternativa mais barata

O Gás Natural Veicular (GNV), combustível que movimenta uma frota de 1,5 milhão de carros no Brasil, precisa mais do que dobrar de preço para deixar de ser mais vantajoso que a gasolina. Em relação ao álcool, o GNV teria que quase dobrar de preço para deixar de ser competitivo.Levantamento feito pelo comitê de GNV do Instituto Brasileiro do Petróleo (IBP), com exclusividade para o jornal O Estado de S. Paulo, mostrou que o preço do gás natural na bomba teria de subir 118,31% para perder a competitividade ante a gasolina e 94,59% para dar lugar ao álcool na preferência dos consumidores.?Não adianta o governo pedir para que os consumidores não façam a conversão de seus carros. Mesmo com aumento de preço, o gás natural não perderá vantagem econômica ante os demais combustíveis?, afirma Rosalino Fernandes, coordenador do Comitê de GNV do IBP e vice-presidente da Associação Latino Americana de Gás Natural Veicular. Os cálculos do IBP consideraram os preços médios apurados pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) neste mês em todos os Estados. Segundo Fernandes, os valores consideram qualquer tipo de veículo com motores a combustão. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.