Para Ideli, negociação da MP dos Portos está no limite

O governo federal chegou ao limite na discussão da Medida Provisória 595/2012, conhecida por MP dos Portos e que reformula as regras do setor no País. A opinião é da ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti. Após participar de uma reunião com líderes partidários no Congresso, ela disse que a base aliada não permitirá que a proposta perca a validade sem que seja apreciada. A matéria vai à votação na quarta-feira, 24, na comissão mista da MP.

RICARDO BRITO, Agencia Estado

23 de abril de 2013 | 19h27

"Se você desvirtuar tanto que não tenha eficácia para dar melhores condições ao setor, então não tem necessidade de aprovar. O governo tem claro que os portos são um nó a ser ''distensionado'', então aquilo que o relator disse sobre limite na negociação, ele tem razão. Chegou-se no limite", disse Ideli, nesta terça-feira, 23, referindo-se ao líder do governo no Senado e relator da MP, Eduardo Braga (PMDB-AM).

Nesta manhã, o relator avisou aos parlamentares que todas as alterações feitas na MP com aval do Palácio do Planalto foram feitas na semana passada, mas nem todas as mudanças apresentadas tiveram o respaldo do governo.

Mais cedo, o líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (RJ), afirmou que o partido discorda de alguns aspectos no relatório da MP dos Portos. "Há pontos de divergência e outros de concordância. Vamos destacar as divergências e levaremos a voto, seja na comissão mista ou na Câmara dos Deputados", disse durante o encontro da comissão mista.

Tudo o que sabemos sobre:
MP dos PortosIdeli

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.