coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Para Ipea, desemprego deve piorar em 2002

O índice de desemprego tende a piorar ao longo de todo o ano de 2002, mas deve registrar recuperação em 2003, conforme projeções do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), divulgadas hoje. Na avaliação do Ipea, a taxa de desemprego do Instituto Brasileira de Geografia e Estatística (IBGE) oscilou em torno de 6,5% no primeiro trimestre deste ano, devendo subir para 6,6% no trimestre de abril a junho, mas caindo ligeiramente para 6,5% no terceiro trimestre, e para 6,4% no quarto trimestre. No final do ano passado, a taxa de desemprego apurada pelo IBGE ficou em 6,2% (desempregados em relação à população ativa) e o Ipea está prevendo que em 2003 a taxa média ficará em 5,9%. Outro indicador que afere o nível de emprego no país, o de número de pessoas empregadas, também registra piora nessa primeira metade de 2002, com tendência de recuperação na segunda metade do ano, mas em ritmo lento. A projeção do Ipea é que o número de pessoas ocupadas cresça 0,7% no segundo trimestre deste ano (aumentou 1% no primeiro trimestre), de 0,9% no terceiro trimestre e de 1,3% nos últimos três meses deste ano. Para o ano que vem, a projeção é de um aumento de 1,7% no número de pessoas ocupadas, o que é um número até melhor do que os 1,5% de 2001, mas bem abaixo dos 4,3% observados em 2000.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.