Para lembrar: no apagão, pico de consumo

Quando há um aumento de consumo sem geração de energia suficiente, a frequência do sistema oscila, o que paralisa usinas

O Estado de S.Paulo

17 Fevereiro 2015 | 02h03

Na semana do apagão, em janeiro, as Regiões Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste registraram picos recordes de consumo de energia. Na tarde do dia 19 de janeiro, o Nordeste chegou a consumir 12.166 megawatts (MW). No dia 21, quando o ONS já havia ampliado a capacidade de atendimento no Sudeste e Centro-Oeste, a demanda nessas duas regiões chegou a 51.894 MW.

Quando há um aumento de consumo sem geração de energia suficiente, a frequência do sistema oscila, o que causa a paralisação de usinas. Isso ocorreu no dia do apagão e tudo indica que voltaria a ocorrer no dia seguinte. Foi quando o Operador Nacional do Sistema (ONS) decidiu adotar medidas emergenciais, como a importação de energia da Argentina.

O recorde nacional de consumo ainda remonta a 2014. Em 5 de fevereiro do ano passado, o País acionou 85.708 MW. O volume ficou ligeiramente acima do pico de 84.724 MW verificados no dia 19 de janeiro, menos de dez minutos antes do apagão.

Mais conteúdo sobre:
apagão energia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.