Nilton Fukuda|Estadão
Nilton Fukuda|Estadão

Para líder do DEM, rebaixamento da nota do País afeta candidatura de Meirelles

Deputado Efraim Filho disse ainda que o resultado 'só facilita' a vida da oposição em 2018

Renan Truffi e Julia Lindner, O Estado de S.Paulo

12 Janeiro 2018 | 18h11

BRASÍLIA - O líder do DEM na Câmara dos Deputados, Efraim Filho (PB), disse nesta sexta-feira, 12, que o rebaixamento da nota de crédito brasileira pela S&P afeta negativamente os planos eleitorais do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, possível candidato à Presidência pelo PSD.

Efraim Filho disse que o resultado só facilita a vida da oposição em 2018. "O rebaixamento afeta principalmente a campanha do Meirelles pela repercussão que isso causa e pelo atraso na retomada da economia, ou pelo menos num ritmo menos acelerado. A campanha do Meirelles está extremamente vinculada ao desempenho da economia. Os desdobramentos do rebaixamento da nota geram isso", afirmou o democrata.

++Para Meirelles, rebaixamento foi técnico e 'não deve ser politizado'

"O fato da economia do Brasil desacelerar só facilita a vida de quem é oposição, num primeiro momento", complementou.

Colega de partido do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), Efraim buscou rejeitar a responsabilização de Maia pelo fato de a base aliada não ter conseguido viabilizar a votação da reforma da Previdência, fator destacado pela S&P para justificar a mudança na avaliação do País.

++Governo fez progressos lentos na área fiscal, diz diretora da S&P

"Isso mostra que o Maia estava certo nas suas convicções. Acho que toda a sociedade brasileira reconhece que o discurso do Maia sempre foi franco, aberto e transparente, defendendo a necessidade das reformas. Então não pode ser depositado nos ombros dele o fato de a reforma da Previdência não ter sido votada. Ele é apenas um deputado de 513, no total", defendeu.

O líder do DEM minimizou ainda as chances do resultado serem positivos para a candidatura do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que é pré-candidato à Presidência pelo PSDB.  "Acho que Alckmin também é um candidato vinculado a um desempenho da economia", argumentou.

++Impacto eleitoral do rebaixamento depende da reforma da Previdência, diz Maia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.