Para Lula, depoimento de Roberto Teixeira não será problema

Segundo fontes do Planalto, ministros e presidente acreditam que o caso Varig perdeu força no final de semana

Leonencio Nossa, de O Estado de S. Paulo,

17 de junho de 2008 | 16h49

Na reunião da Coordenação Política, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e os ministros avaliaram que "não haverá nenhum problema" se o advogado e empresário Roberto Teixeira prestar depoimento, nesta quarta-feira, 18, no Senado sobre o polêmico processo de venda da Varig e da VarigLog. Veja também: Entenda as denúncias contra a venda da Varig  Veja os principais pontos do depoimento de Denise Abreu Leia a reportagem do Estado que revelou o caso Varig  A informação é de um dos participantes da reunião. Teixeira, compadre do presidente, foi acusado pela ex-diretora da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) Denise Abreu de prática de tráfico de influência no processo. Durante a reunião, os ministros e o presidente avaliaram, segundo a fonte, que o caso perdeu força na mídia durante o fim de semana e que o depoimento de Denise Abreu à Comissão de Infra-Estrutura, no Senado, na semana passada, não apresentou "novidades". De acordo com a fonte, Lula e os ministros consideraram também que não haverá problemas com o depoimento do empresário Marco Antonio Audi, que afirma ter pago a Teixeira 5 milhões de dólares para interferir no processo a favor do Fundo Matlin Patterson, que acabaria comprando a VarigLog. Audi era, na época da negociação, um dos três sócios brasileiros do fundo.

Tudo o que sabemos sobre:
VarigRoberto teixeiraLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.