Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Para Mantega, Brasil é um país capitalista sem capital

O ministro do Planejamento, Guido Mantega, afirmou em São Paulo que o crédito escasso e caro é o maior problema enfrentado pelo setor produtivo brasileiro para o crescimento sustentado da economia. "O Brasil é um país capitalista sem capital, temos um dos menores índices de crédito do mundo, apenas 23% do PIB. Temos um jejum total de crédito, as empresas têm que se auto-financiar para crescer. Sabemos que sem crédito e sem os juros baixos não se faz crescimento", argumentou ele.Um dos caminhos para resolver isso, segundo o ministro, é a concessão de crédito de instituições de fomento internacionais, como o Bid e o Bird, diretamente para o setor privado, sem a intermediação do governo. "O caminho é promover linhas de crédito diretamente ao setor privado, que faz o investimento que o setor público não tem como fazer", disse. Isso já começa a acontecer com o empréstimo de US$ 1 bilhão anunciado pelo Bid para o Brasil, dos quais US$ 180 milhões serão liberados para o Bradesco em convênio que será assinado hoje. Além disso, acrescentou Mantega, o governo tem feito uma política fiscal mais restritiva para poder "libertar" a política monetária, de modo a baixar os juros básicos, e também tem estimulado os bancos públicos, como o BNDES e Banco do Brasil, a aumentarem o crédito. "É preciso criar condições para que o crédito privado retorne, porque o desafio é ter crédito barato de longo prazo", disse.Outros dois problemas diagnosticados por Mantega que emperram o crescimento sustentado brasileiro são a vulnerabilidade externa e as condições inadequadas da infra-estrutura do País. O ministro participa de encontro com o presidente do Bid, Enrique Iglesias, e empresários da indústria de base e infra-estrutura na sede da entidade que representa o setor, a Abdib.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.