Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Para Mantega, decisão do BC americano foi 'sábia'

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou hoje que a decisão do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) de reduzir as taxas de juros foi sábia e terá impacto positivo nos mercados. Mantega avaliou que a queda nos juros atenuará a crise internacional e trará um alívio para o crédito e as taxas de juros. O ministro disse que a decisão do Fed sinaliza que o órgão decidiu por uma acomodação mais suave dos mercados, ao invés de permitir um ajuste mais forte pelos mercados.Mantega disse ainda que a medida do banco central dos EUA prevê uma desaceleração da economia americana e, por isso, a redução das taxas de juros deve impedir uma queda maior do nível da atividade econômica e uma possível deflação. "O Fed está reconhecendo que a turbulência é mais séria do que se pensa e que vai demorar mais tempo para se dissipar", afirmou. O ministro disse que a decisão de um corte de 0,50 ponto porcentual o surpreendeu, porque ele esperava uma queda de 0,25 ponto porcentual.Ele alertou que a decisão do Fed não significa que a turbulência internacional tenha se encerrado. "A turbulência é séria e de grandes proporções, que atinge mais as economias centrais que as economias dos países emergentes", ressaltou. Ele lembrou que a crise teve repercussões nesta semana no Reino Unido e previu "que ainda vão pipocar problemas nas instituições financeiras dos países mais avançados".SolidezMantega avaliou que o Brasil está passando bem por essa crise e comprovando a solidez de sua economia. Ele disse que a única repercussão no País até o momento foi o aumento dos juros de longo prazo, mas que deve cair com esta medida do BC americano. Ele destacou também que as bolsas subiram hoje ao patamar que estavam antes do início da crise.O ministro considerou a valorização do Real no dia de hoje, como reflexo da decisão do Fed, um movimento normal. Segundo ele, já que o Brasil está saindo fortalecido desta situação e continua sendo recomendado como um mercado atrativo, é normal que haja uma valorização da moeda. "Não se pode ter as coisas negativas e positivas ao mesmo tempo. É preciso escolher", disse.Investment gradeO ministro da Fazenda disse que não leu o estudo divulgado hoje pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) com a avaliação sobre a economia. Destacou, porém, que o documento faz comentários positivos sobre o Brasil e vem se juntar a vários outros analistas internacionais que têm recomendado o Brasil para o investment grade (grau de investimento). Ao ser questionado sobre a recomendação do fundo para que o Brasil continue reduzindo a taxa básica de juros (Selic), Mantega disse que a pergunta deveria ser sobre inflação. "A turbulência internacional não tem afetado a inflação. Pelo contrário. Se ela se prolongar e afetar o comércio internacional, ela vai abaixar os preços. Então não tem por que temer", disse. E prosseguiu: "outro risco que já está afastado é a desvalorização do real que poderia causar alguma inflação".

RENATA VERÍSSIMO, Agencia Estado

18 de setembro de 2007 | 21h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.