Para Mantega, inflação no Brasil não é 'estrutural'

O Brasil está enfrentando pressõesinflacionárias com os altos preços de alimentos como outrospaíses, mas a inflação no país não é "estrutura" e pode serenfrentada com mais produção, afirmou nesta sexta-feira oministro da Fazenda, Guido Mantega. "O Brasil está muito bem posicionado na questão dainflação", disse a jornalistas, acrescentando que a inflaçãoestá perto da meta central de 4,5 por cento. A expectativa entre economistas é de que o Banco Centraleleve o juro na próxima semana, depois da divulgação de dadosde inflação piores que o esperado. Seria o primeiro aumento daSelic desde a reunião de maio de 2005. Mantega evitou fazer comentários sobre a próxima decisão doComitê de Política Monetária (Copom). O BC já manifestoupreocupações com o descompasso entre demanda e oferta frente aoaquecimento do consumo interno. O ministro disse que a resposta para os preços altos dealimentos, que podem durar mais dois ou três anos, é maisinvestimento no setor para "aumentar rapidamente a oferta deprodutos agrícolas". A pressão dos alimentos está ocorrendo à medida que opadrão de vida e, consequentemente, o consumo de alimentos,está aumentando em países emergentes como China e Índia, etambém se deve a desafios climáticos, acrescentou Mantega. (Por Adriana Garcia)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.