Para Mantega, PIB de Serviços foi surpresa, mas País está em recuperação

Ministro projetou uma expansão de 1% da economia no quarto trimestre deste ano

estadão.com.br

30 de novembro de 2012 | 12h18

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou nesta sexta-feira que o país está em trajetória de recuperação da economia, apesar de o governo esperar mais, e que essa recuperação será mais forte no trimestre corrente. O ministro apontou que o resultado do crescimento de julho a setembro não foi previsto por ninguém, inclusive pelo governo. O ministro previu na semana passada que o País registraria uma expansão ao redor de 1,2% no período. "Foi um resultado abaixo do esperado, mas a economia está em expansão", reiterou.

Os últimos indicadores, disse o ministro, já apontam para uma reação da economia. Ele projeta expansão de 1% do PIB no quarto trimestre e mantém a previsão de crescimento da ordem de 4% em 2013. "Posso afirmar que a economia está em trajetória de aquecimento", disse.

O ministro afirmou ainda que o governo deverá continuar com a adoção de medidas para estimular a economia. "Vamos continuar com a desoneração da folha de pagamento em 2013", destacou. De acordo com Mantega, novas ações oficiais devem ser anunciadas na próxima semana. Entre elas, estaria a redução de juros para financiamentos. O ministro não deu mais detalhes sobre estas medidas.  

Há especialistas que cogitam que o Programa de Sustentação do Investimento (PSI) poderá ter mudanças em breve. Nesse programa, o BNDES concede financiamentos para a compra de máquinas e equipamentos com taxas nominais diminuídas 2,5% ao ano, o que significa que a taxa real é negativa.

Setor de serviços

Mantega disse também que a surpresa foi o desempenho do setor de serviços. De acordo com que ele, um dos motivos que levaram à frustração das expectativas em relação ao PIB foi o governo e os analistas terem olhado mais para o setor agropecuário, que registrou queda forte no segundo trimestre, e menos para o setor de serviços. "Olhamos mais para a agricultura e menos para o setor de serviços", disse o ministro, ao se referir à variação zero do segmento dos serviços.

O ministro não soube explicar o baixo desempenho do consumo do governo. "O consumo do governo foi fraco. Ainda não sabemos exatamente o que aconteceu", explicou.

Investimento

Mantega afirmou que a recuperação da Formação Bruta de Capital Fixo é mais lenta neste ano, mas dá sinais de retomada no quarto trimestre. "As vendas de caminhões apresentaram bom desempenho a partir de outubro e isso é uma indicação positiva de que os investimentos estão avançando", afirmou. O ministro ressaltou que o Produto Interno Bruto está em processo de aceleração, embora reconheça que teria ficado mais satisfeito se o País tivesse registrado uma expansão maior que os 0,6% no terceiro trimestre na margem.

Mantega afirmou que a indústria de transformação "está ganhando velocidade e vai continuar nessa trajetória" nos próximos trimestres. O ministro destacou que o setor está apresentando bom nível de recuperação, devido a medidas de estímulo adotadas pelo o Poder Executivo, como as desonerações tributárias.

Ele destacou que a indústria da construção civil também apresentou resultado positivo no terceiro trimestre e o setor está em plena retomada. "A surpresa do terceiro trimestre foi o desempenho de serviços, que responde por mais de 60% do PIB", comentou. E isso, segundo ele, foi um reflexo da redução dos spreads das operações financeiras, o que levou os bancos a reduzirem as concessões de crédito.

(Com Agência Estado e Reuters)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROPIBMANTEGA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.