Para Marinho, crescimento virá em 2004

"O espetáculo de crescimento" do Brasil deverá acontecer em julho, mas do ano que vem, avaliou o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Luiz Marinho, ao comentar a previsão feita ontem pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva de que a expansão da atividade econômica terá início no próximo mês.No entanto, Marinho ponderou que a movimentação do governo já assegura uma reversão de expectativas. "As medidas que o governo já anunciou com as demais que vai anunciar, como o Primeiro Emprego, aliado à queda dos juros e a realização das reformas, combinadas ainda com investimentos em infra-estrutura, vão paralisar o quadro ruim que vivemos hoje e inverterão a curva de crescimento, agora para cima", avaliou, ao deixar o escritório do Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior em São Paulo. Para Marinho, o País "terá o que comemorar" já no ano que vem. "Poderemos ter um patamar de crescimento de 3,5% a 4% no próximo ano. Tenho convicção na retomada do nosso crescimento econômico", avaliou.O sindicalista, que esteve acompanhado do presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, José Lopez Feijó, e do presidente da Trevisan Auditoria, Antoninho Marmo Trevisan, reuniu-se com o ministro do Desenvolvimento, Luiz Fernando Furlan.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.