FELIPE RAU/ESTADÃO
FELIPE RAU/ESTADÃO

Para Meirelles, é 'normal' que denúncia contra Temer seja prioridade no Congresso

Mesmo assim, ministro da Fazenda acredita que ainda há espaço para que reforma da Previdência seja votada neste ano

Ricardo Leopoldo,, O Estado de S.Paulo

20 Setembro 2017 | 20h49

NOVA YORK - O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, ressaltou que tem a expectativa de que a "reforma da Previdência será aprovada neste ano" pelo Congresso. Em entrevista ao Estadão/Broadcast, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que tal mudança estrutural só será votada pelos deputados depois de ter sido votada a segunda denúncia da procuradoria-geral da República contra o presidente Michel Temer. "(Votação de denúncia) seria o primeiro item da Câmara, o que seria a evolução normal", afirmou Meirelles.

O ministro ressaltou que o governo continua trabalhando para cumprir a meta fiscal deste ano e do próximo. "O leilão da Cemig está mantido", disse. "Existem questões em andamento no Congresso com impacto neste ano. A questão do Refis, espero que nos próximos dias a proposta será decidida." Meirelles conversou com jornalistas na sede da Bloomberg em Nova York. 

"Estamos seguindo com o cronograma de medidas", destacou. "Existem algumas outras questões judiciais, com impacto menor, mas que também estão prosseguindo normalmente. A Advocacia-Geral da União está também fazendo um trabalho muito eficaz em relação a isso."

++ Em NY, Moreira Franco fala em privatizar Correios

O ministro apontou que existem questões no Congresso que têm impacto fiscal em 2017. "Há também a questão da reoneração da folha, que por exemplo, que seria para o próximo ano." 

Mais conteúdo sobre:
Henrique Meirelles Michel Temer

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.