Para Merkel, Grécia não deveria ter aderido ao euro

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, disse que a Grécia não deveria ter recebido autorização para aderir à zona do euro e responsabilizou o ex-chanceler alemão Gerhard Schröder, segundo a edição do jornal britânico Daily Telegraph desta quarta-feira.

Agencia Estado

28 de agosto de 2013 | 09h01

O comentário de Merkel vem num momento em que ela tenta mostrar aos eleitores que mantém uma postura dura com os países em dificuldades da zona do euro a cerca de um mês das eleições parlamentares na Alemanha, disse a publicação.

"Não deveriam ter deixado a Grécia entrar na zona do euro", disse Merkel a cerca de 1.000 correligionários de seu partido, a União Democrata Cristã (CDU, na sigla em inglês), durante discurso ontem em Rendsburg, de acordo com o Daily Telegraph.

"O chanceler Schröder aceitou a Grécia (em 2001) e enfraqueceu o Pacto de Estabilidade, e ambas decisões foram fundamentalmente equivocadas, e um dos pontos de partida dos problemas atuais", afirmou o jornal.

Ainda segundo a publicação britânica, Merkel reiterou o desejo de ver uma moeda única europeia forte, mas alertou que isso só será possível por meio de reformas em países problemáticos como a Grécia.

"(A zona do euro) é um tesouro tão grande, uma bênção tão grande, que não podemos colocá-la em dúvida", disse Merkel no discurso, conforme a reportagem do Daily Telegraph. "É por isso que o euro é mais do que uma moeda. Por esse motivo, que temos mostrado solidariedade, mas solidariedade sempre condicionada a reformas nos países que experimentam nossa solidariedade." Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
AlemanhaGréciaMerkel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.